Conceição do Mato Dentro, em Minas, cria projeto para fomentar desenvolvimento

IMG_2270

O município de Conceição do Mato Dentro é considerado a “Capital Mineira do Ecoturismo” por abrigar inúmeras belezas naturais. Distante 167 km de Belo Horizonte, integra o Circuito Estrada Real e o Circuito Serra do Cipó e por seu patrimônio natural singular, foi declarado em 2005 como reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Com todo esse potencial, o fomento ao turismo local foi um dos projetos que surgiram ao final da primeira oficina do programa de Fortalecimento da Gestão Pública, realizada em fevereiro pelo IDIS.

Com um público de 19 pessoas, entre técnicos e gestores públicos da prefeitura e de diversas secretarias municipais e a vice-prefeita, a oficina teve duração de um dia e meio e abordou como se dá a construção de um projeto social. O desafio colocado aos participantes foi elaborar iniciativas que atendessem aos desafios mais prementes do município. “O grupo apresentou três propostas: uma voltada para a qualificação do município para o avanço do turismo sustentável, outra com foco na gestão adequada dos resíduos e a terceira propondo a construção de um canil municipal. As proposições seguiram as demandas do município levantadas durante o primeiro dia de oficina”, relata Marcela Bernardi. Agora, uma segunda oficina será realizada para mostrar como conseguir recursos para os projetos criados. “No próximo encontro, em março, vamos abordar o tema da diversificação de fonte de recursos e como acessar linhas de financiamento e editais”, conclui Marcela.

O projeto Fortalecimento da Gestão Pública é executado pelo IDIS para a Anglo American em Conceição do Mato Dentro e em outros três municípios – Alvorada de Minas, Dom Joaquim e Serro. O objetivo da iniciativa é apoiar os gestores públicos municipais na elaboração de projetos, na diversificação da captação de recursos e na construção de oportunidades para apresentação de propostas a órgãos financiadores. A meta é que, ao final do percurso de oficinas, cada município tenha realizado a submissão de pelo menos um projeto para uma fonte de financiamento. O intuito de todo esse trabalho é fortalecer o poder público de cada localidade, melhorando, com isso, o atendimento à população e promovendo o desenvolvimento local.