Atores sociais de Paracatu são capacitados no tema de mobilização de recursos

Localizada no noroeste mineiro, a cidade de Paracatu foi fundada na primeira metade do século XVIII em pleno ciclo do ouro. O declínio da exploração do metal provocou a decadência econômica da localidade, mas com a construção de Brasília a região tomou novo impulso. Atualmente, com cerca de 85 mil habitantes, Paracatu destaca-se por ser um importante polo de mineração – após a descoberta de novas reservas do minério – e orgulha-se de sua gente hospitaleira e da sua tradição cultural.

Em setembro e em outubro, o IDIS esteve na cidade realizando, primeiramente, um estudo de cenário e, na sequência, o primeiro módulo de um ciclo de capacitações dos atores sociais locais no tema Captação e Diversificação de Fontes de Recursos. As ações fazem parte de um projeto realizado pelo IDIS em parceria com a Kinross Gold, mineradora canadense com unidade de extração na cidade, cujo objetivo é fortalecer a comunidade contribuindo para o desenvolvimento local.

Ao todo serão três módulos de formação para os representantes de organizações sociais e dois módulos para representantes do poder público municipal. Cada módulo ocorre ao longo de dois dias de encontro. O conteúdo é baseado nas informações colhidas pelo IDIS durante a visita de campo, ocorrida em setembro, quando a equipe do IDIS entrevistou 28 pessoas para mapear desafios e oportunidades de atuação.

“Um total de 70% dos entrevistados apontou a captação de recursos como o principal desafio das organizações da sociedade civil”, informa Olivia Castelo Branco, trainee de Projetos do IDIS e integrante da equipe de campo que realizou o diagnóstico. Os dois ativos mais citados pelos entrevistados foram a cultura de Paracatu: 48% falaram foi um dos sobre a riqueza cultural do município e acreditam que ela precisa ser mais valorizada pelos habitantes, assim como a possibilidade de explorar o turismo local (também apontada por 48% dos entrevistados).

Tendo essas informações em mãos, o IDIS preparou um ciclo de formação sobre mobilização de recursos e elaboração de projetos. Os próximos encontros serão em novembro e dezembro. Após essa etapa, o IDIS fará acompanhamento à distância dos participantes, para sanar dúvidas e apoiá-los no desenvolvimento dos projetos propostos durante as capacitações. “O planejamento da mobilização de recursos deve iniciar-se através de um diagnóstico das organizações. Por isso, instigamos as organizações a refletir sobre causa, missão e valores”, esclarece Marcela Bernardi, coordenadora de Projetos do IDIS.

Outra ação do projeto será a realização de palestras com possíveis investidores locais, programadas para dezembro. “Queremos alcançar todos os ativos para o desenvolvimento local: preparamos as organizações sociais para elaborarem projetos e acessarem novas fontes de recursos públicos ou privados, capacitamos o poder público para aperfeiçoar a elaboração de projetos e de editais, ressaltamos a importância do trabalho em rede e em parcerias ou em forma de convênios e, por fim, os investidores locais serão chamados para participarem desse processo de desenvolvimento do município. Eles podem apoiar projetos via recursos incentivados”, explica Marcela Bernardi.